Arquétipos e Metafísica: A co-criação consciente da realidade

Arquétipos e Metafísica: a co-criação consciente

O que são os arquétipos? O que é metafisica? Qual a relação entre arquétipos e metafisica? Como co-criar sua realidade de forma consciente?

O conteúdo deste artigo é de extrema importância em todas as áreas da vida das pessoas. Este é um conhecimentos que durante séculos ficou oculta para a humanidade,  e sendo restrito a poucos, contudo algo aconteceu e esta sabedoria ganhou visibilidade mundial.

Arquétipos e metafisica são duas palavras pouco popular, mas neste artigo você verá que ambas estão na essência de tudo. Ou seja na criação da realidade.

Metafísica é a uma sabedoria que pode ser definido como o conhecimento que vai além da física, estudo a essência das coisas, qual a origem das coisas? Como as são manifestadas?

Inicialmente o tema foi tratado por alguns filósofos como:  Aristóteles, Kant, Schopenhauer, Platão entre outros, mas sempre visto como algo filosófico, como ficar filosofando como teorias abstratas. Apesar de Platão ter acertado na sua explicação sobre o tema.  

Metafisica sempre foi algo prático! É fato que parte da humanidade já materializava a metafísica por meio do papel da tecnologia na produção das coisas, todos os abjetos e maquinas inventados e postos nobre a superfície do planeta foram criados através do conhecimento da metafísica.

Contudo algo mudou, este conhecimento também saiu do um grupo restrito e se popularizou, graças à internet. Pode-se afirmar que de grosso modo foram três os principais eventos que popularizou a metafisica no planeta.

O primeiro foi o documentário “O segredo” lançado em 13 de setembro de 2007 da escritora australiana Rhonda Byne, foi um vídeo que entre outros participantes divulgaram a ideia da lei da atração; no qual tudo que pensamos e sentimos estamos atraindo para as nossas vidas.

O segundo foi o documentário “ Quem somos nós” lançado em 23 de abril de 2004 cuja direção foi o produtor americano William Arntz, foi um vídeo sobre metafisica e física quântica, A tese acima é defendida por vários físicos quânticos entre eles o físico norte-americano Fred Alan Wolf que afirmar “Nós criamos a nossa própria realidade” no qual passou a ideia agora explicado de forma cientifica.

O terceiro foi aqui no Brasil, a partir da cidade de Santo André/SP-Brasil; foi realizado um série de palestras,  realizadas pelo prof. Brasileiro Hélio Couto, sobre temas diversos, mas cujo principal objetivo era leva espiritualidade e prosperidade através do conhecimento de metafisica.

Arquétipos e metafísica

Atualmente ainda é pequeno o número de pessoas que se preocupa com o que pensa, o que sente e cria sua realidade de forma consciente, mas já existe um massa crítica de pessoas na internet, e fora desta, que entende a metafisica da criação, basta o observar a quantidade de blogs e páginas em  redes sociais sobreo tema. E a diversidade de palestras ao redor do mundo em que se explica a mesma coisa, metafisica, mas com palavras diferentes.

Como um ser autoconsciente, o objetivo de todo homem deveria ser tornar-se um co-criador, uma pessoa totalmente autossuficiente, que não tivesse mais necessidade de pedir nada; simplesmente porque teria tudo o que precisasse para ser livre e criar o que quiser. 

Neste artigo irei explicar o assunto sob a ótica dos arquétipos. Como usar o conhecimento sobre o arquétipos e metafisica para criar a sua realidade de forma consciente. Na pratica o processo de co-criação envolve três passos ( mentalização, sentimentos e foco) não necessariamente nesta ordem.

A ordem não necessariamente é esta: mentalização, sentimento e foco. Primeiro pode-se focar em algo, começar a pensar e após ter sentimento por aquilo, mesmo assim, esta tríade vale para tudo que desejamos criar.

Será que isto é fácil, ser um co-criador consciente? Claro que não. São poucos os que conseguem criar metas e realizá-las. Vou discorrer sobre três elementos que criam a nossa a realidade: fazer a mentalização  (cria arquétipos ou modelo na imagninação); sentir (ter desejo e sentir como já estivesse vivenciando) e focar (ação direcionada).

Inicialmente para ser  um co-criador consciente deve mentalizar o que quer realizar, ter uma imagem mental em detalhes do que deseja manifesta, isto chamo de: a mentalização de arquétipos.

A mentalização se refere ao pensamento é aquilo que é trazido para a nossa consciência através da atividade mental, Jung distingue dois tipos de pensamentos: um é o dirigido, usa a comunicação, é racional, usa o intelecto e é consciente.

O outro é o pensamento associativo, que é o pensamento por imagens, simbólico ou mentalização (sonhar, imaginar, fantasiar), é o pensamento dirigido ao inconsciente, este faz parte do processo criativo.

Objetos e situações, uma vez mentalizados já foram criados no plano mental, após isto, basta serem cristalizados por ações concretas. Tudo que existe de material existiu antes na imaginação.

Pensamentos conduzem a sentimentos, sentimentos conduzem a ações, e ações conduzem a resultados. Os Pensamentos e sentimentos emitidos por nós, são materiais, são substancias em estado etérico. Ou em outra dimensão da realidade.

Saber disto implica que devemos ter controle sobre nossos pensamentos, para se evitar a entropia psíquica, se não controlarmos nossos pensamentos ele inevitavelmente cairá para desordem, a negatividade, para perda de energia psíquica.

O segundo passo é o sentimento, você deve sentir como se já estivesse realizado o seu desejo; os sentimentos aqui envolvidos são os gratidão e alegria.

O sentimento ocorre pelo coração, as neurociências atualmente explicam que o coração tem um campo eletromagnético 5000 mil vezes maior do que o campo eletromagnético do cérebro.

Isto explica por que o pensamento positivo sozinho não tem força suficiente para criar uma realidade, é que a energia que tem força para criar é o sentimento, o sentimento cria o magnetismo que atrai recursos, pessoas e oportunidades a depender do nível de frequência.

Os sentimentos e as emoções são desencadeadores de ondas negativas ou positivas e através dessas ondas, nossa realidade é construída, pois atraímos o que vibramos em ondas.

Os sentimentos positivos como alegria, amor, felicidade e gratidão nos aproximam do que desejamos. E sentimentos negativos como medo, raiva,inveja e tristeza, nos afasta  daquilo que desejamos.

O terceiro passo de criação é ter foco no seus objetivos. Não basta agir de qualquer jeito, atirar para todos os lados, é preciso ação com foco, mirar um alvo e atingí-lo. O alvo nesta concepção é onde você quer chegar.

Ter foco envolve assumir um comportamento proativo para o que é importante, e, por outro, lado significa também se afastar do que é inútil, como, por exemplo, parar de tentar viver a vida dos outros e deixar de perder tempo com coisas inúteis como televisão e internet.

Você entra no habito do hiperfoco quando atinge um estado de convergência de todas as suas forças e recursos para realizar um objetivo predefinido.

Quando temos foco, sabemos previamente as nossas metas, um imprevisto pode atrasar o cumprimento da meta, mas não irá tirar uma pessoa do seu objetivo. Foco não significa por ansiedade, significa fazer o que deve ser feito e soltar os resultados, assim quando estamos dirigindo o carro, a passeio num parque ou brincando com os filhos de repente você recebe insights mentais criativos.

Deste modo é quando você está no estado de hiperfoco ou imersão no seu objetivo que a mágica acontece, pois neste estado você irá criar de forma inconsciente dois processos do através de sua intuição: você irá receber insights mentais, ou seja verdadeiros download de informações do universo,lhe mostrando o que deve ser feito. 

O outro processo intuitivo são as sincronissidades, seu subconsciente irá atrair situações e pessoas  que irão lhe ajudar no processo, ou seja oportunidades serão criadas, quando você estiver preparado.

A intuição faz com que você tenha ideias geniais sobre produtos e serviços que ainda não existem, e que possam render milhões se você acreditar e puser em prática. Todas as inovações tecnológicas tiveram início através da mente intuitiva de seus inventores.

co-criação  consciente da realidade
co-criação consciente da realidade

Assim processo criativo ocorre a nível do subconsciente ou seja no mundo dos arquétipos, ou  no mundo as ideias como ensinava platão; você projeto sua meta no subconsciente através de imaginação do arquétipo e você também recebe do subconsciente os insights mentais do que deve ser feito para realizar sua criação.

 Na grande maioria das vezes os objetivos das pessoas resumem a: carro, casa, apartamento, um bom relacionamento amoroso, passar num concurso público, trabalhar em grande empresa, criar seu próprio negócio etc.

Mas esta lei da manifestação vele para tudo neste planeta e no universo, pois é uma lei universal, é um princípio da física quântica. Saiba mais sobre esta lei da criação e outras leis do universo no livro: física quântica para iniciantes.

Diga-nos o que achou?