Arquétipos Femininos

Arquétipos Femininos

O que são os arquétipos pessoais? Qual relação entre os arquétipos da vida intima e as deusas da mitologia? Qual a importância deste conhecimento o seu autoconhecimento e par a sua vida amorosa?

Este artigo é destinado a todas as pessoas que ainda acredita na vida amorosa com uma verdadeira fonte de felicidade e assim buscam conhecer a si mesmo e ao seu parceiro (a) para que juntos possam sentir o amor romântico de forma reciproca.

A vida intima da pessoa, sempre foi visto de forma superficial, a origem dessa palavra intimo deriva do latim intimus, um superlativo de in, “em, dentro”.  , então o que vem de dentro de nós que nos define e afeta a nossa vida pessoal,?

No meio social pessoas gostam de pessoas, está é uma regra da natureza. Sentimos atraído (a)  por pessoas, sentimos admiração por pessoas e igualmente vivemos e andamos em grupos de pessoas seja por conexão familiar, vínculo afetivo, interesses em comuns ou perfis de personalidade parecidos.

No meio social nada é caótico como aparentemente parece, tudo e todos está nos devidos lugares, pessoas que pesam parecidos convivem no mesmo lugar, pessoas de gostas de estudar, que gostar de balada, que gostam de praticar esportes radicais, que gostam de ganhar dinheiro e ou que frequentam os mesmos lugares, se vestem de forma parecida e tem hábitos em comum.

Afinidade Amorosa

Deste modo no meio social semelhante atrai semelhante por afinidade e nos relacionamentos afetivos, que é o tema deste artigo, são as pessoas de sexos se opostos se atraem, por instinto sexual

Então que nos atrai no sexo oposto? Os atributos físicos, como os corpos belos apenas ou o perfil de personalidade? ou mesmo os dois em conjuntos?

O fato é que um homem sente atração pelo visual do corpo de uma mulher por instinto natural, um homem todas as vezes que visualizar uma mulher atraente visualmente será gerado libido sexual na sua mente, isto é natural por mais que seja considerado uma atitude reprovável socialmente e devamos conter os nossos instintos no momento.

A outra questão de atração é a nossa personalidade, os nosso arquétipos pessoal, todos temos perfis de comportamentos que nos torna interessante aos olhos de determinado perfil de pessoa que tem afinidade com a nossa.

Afinidade é o conjunto de comportamentos, gostos e valores de determinados perfis de pessoas, é comum atribuir afinidade a signos da astrologia ou signos do zodíaco; que tem base no período de nascimentos com a posições dos astros no espaço astronômico.

Mas o fato é que existe perfis de personalidade intima comum em todas as pessoas, e que estas modelos de personalidade têm origem no inconsciente coletivo.

O psicólogo suíço Carl Jung foi o pioneiro no mundo a utilizar personagens da mitologia da antiguidade para explicar os tipos psicológicos das pessoas.

Jung lança a tese da existência de um inconsciente coletivo e rompe definitivamente com toda a teoria existente na época, rompe  a psicológica tradicional baseada no cérebro, com Psicanálise de Sigmund Freud e  com a psicologia medica  e fez surgir uma nova área de conhecimentos sobre a psique humana: A Psicologia Analítica.

Sua tese é que a atividade psíquica são fenômenos anímicos, ou seja manifestações da alma, sendo aceito dentro do meio profissional e acadêmico toda a tese e ideias contraria terá que ser refutada.

Assim somos seres espirituais e usamos os arquétipos, ou mascaras pessoais para nos relacionar numa coletividade, deste modo ao longo de nossa vida intima  desenvolvemos tipos psicológicos quando nos relacionamos amorosamente com alguém seja homem ou mulher.

 O primeiro passo para uma vida intima feliz é conhecer a si mesmo, ver qual arquétipos esta vivenciando na sua intimidade. Ou seja no caso das mulheres a pergunta é: qual a sua deusa interior?

Base Teórica 

O estudo dos deuses e deusas gregas e os diversos outros das civilizações antigos,  sempre foram vistos no meio acadêmico e entre estudiosos do assunto,  como personagens interessantes; mas sempre fictício e sem importância pratica na vida das pessoas.

Contudo algo aconteceu,  muitos estudiosos em todo o mundo começaram e receber insith e perceberam que quando estudamos os deuses e deusas de fato estavam falando sobre nós mesmos,  eles eram os modelos de nossa personalidade pessoal.

Entre os estudiosos deste tema, as deusas em cada mulher, dois se destacam: um é  foi o psicoterapeuta britânico Roger Woolger . Este  escreveu o livro “ A Deusa Interior” no qual a associa personagens mitológicos da antiguidade a modelos de personalidades íntimas das mulheres.

Igualmente no livro “As Deusas e a Mulher”, a autora a norte-americana Jean Shinoda Bolen explica que se trata de uma nova psicologia das mulheres. Estes personagens mitológicos representam os modelos de personalidade pessoal comum a todas as mulheres, independente do lugar e tempo histórico.

Todos explicam a mesmo coisa de forma diferente: as deusas da mitologia grego-romanda entre outras, se refere a perfis de personalidade intima das mulheres, logo são modelos arquétpicos.

 

Deusa Interior 

Assim toda mulher é uma deusa de forma real, as deusas interior são sete: Estes padrões arquetípicos estão dentro do inconsciente de toda mulher:

Mulheres-Demerter: Simboliza a deusa da fertilidade, conhecida também como a deusa da agricultura, sendo uma mulher que se caracteriza por ter a forte vontade de ser mãe.

Mulheres-Artemis: Simboliza a deusa da caça, também conhecida deusa da lua e pelo nome de Diana ou artemisa. A sua característica é ser enérgica e independente.

Mulheres-Afrodite: Simboliza a deusa do amor, sendo que sua característica é a buscar ser sempre bela e insinuante.

Mulheres-Hera: Simboliza a deusa do casamento, também conhecida com a deusa do matrimonio. Esta é tipo de mulher que gosta de ser a esposa perfeita.

Mulheres-Hestia: Simboliza a deusa do fogo, conhecida como a deusa virgem e do lar. A mulher com perfil de Hestia se caracteriza pela pureza, mansidão e do tipo donzela

Mulheres-Persefone: Simboliza adeusa da primavera, conhecida também como a deusa do submundo por ser a esposa de hades. É o tipo de mulher discreta e intuitiva.

Mulheres-Atena: Simboliza a deusa da sabedoria, é o tipo de mulher inteligente, ambiciosa e extrovertida.

Estes sete arquétipos da vida intima se externa em valores e padrões de comportamento que são ativados ao longo da vida pessoal de cada mulher.

Quando mais cedo você de identificar como um arquétipos, mais você mas rápido uma autoconhecimento pessoal e mais rápida será sua evolução na vida pessoal.

Deste modo toda mulher deve fazer uma busca interior e entender qual arquétipo estar vivenciando. E o homem que deseja entender sua mulher precisa também deste conhecimento; logo este conhecimentos é vital para uma vida intima feliz.

Assim com teoria amplamente aceita e estudada, falta agora aplicar este conhecimento na pratica, identificando a sua deusa interior, este é parte do objetivo deste livro, na questão do autoconhecimento pessoal e da afinidade amorosa no Ebook: Arquétipos e Relacionamentos Afetivos.

Diga-nos o que achou?